MENU
Wallpappers
Humor
Icones
Hardware
Ouvi Dizer...
LINKS UTEIS
DICAS CURTAS

Identificar hardware no Linux

MPlayer: Ler imagem iso de um DVD

O comando shutdown : Desligue, programe, e faça muito mais ...!

Ktimer o temporizador do KDE e não só

Verificação da integridade de arquivos e imagens iso

Backup da MBR

Como instalar fontes Truetype no Linux «Ubuntu »

Agendar tarefas com CRON

COISAS... INTERESSANTES!

A Internet torna as pessoas inteligentes?

Nomes cientificos de alguns dos sistemas operacionais existentes

Fantastic Music

Blogs a mais conteudo a menos..

Ouvi dizer! ... que os numeros nasceram assim...

Recuperar CD ao DVD estragado.

Recuperar CD ao DVD estragado.

Tipo: Dica
Por:  Rui Pedro      17/03/2012

 Pagina 1 de 2

 

Tenho uma velha câmara de vídeo HI8 Sony TR750E analógica com a qual gravei alguns filmes de quando os meus filhos eram ainda crianças. Tenho também um placa de tv Pinnacle com o qual capturei as imagens da câmara, imagens essas que após todo o trabalho de autoração coloquei em CDs, na altura ainda estávamos no tempo da pedra ( o DVD ainda estava para nascer).

Foi com muita decepção que ao meter um desses cds para relembrar velhos tempos que descobri que os CDs se estão a estragar. A história seguinte já vocês devem calcular, por isso vamos ver como resolvi o problema de restaurar o velho filme.


O problema.

Bom! o problema é que eu pensava que os CDs eram eternos, bom... não é bem assim! eu pensava era que os CDs mais baratos demorassem mais um bocadinho de tempo a estragarem-se.

Pois é!

Mas descobri que alguns estragam-se até demasiado depressa não chegando sequer a durar um ano, e descobri isso da pior maneira ou seja perdendo os dados contidos neles.

Mas vejamos a fonte dos meus problemas para além da perca dos dados.

Na foto acima é bem visível o verdadeiro culpado de todos os meus problemas, é aquele pontinho branco o verdadeiro culpado do problema. Alias é bem visível que o CD não tem riscos nenhuns. Nesta altura perguntaram, mas então que pontinho branco é aquele?.

Os discos CDs assim como os DVDs são compostos por quatro camadas, 99% de toda a sua espessura corresponde a policarbonato (plástico). O outro 1% restante é dividido em três camadas: uma reflexiva, uma de protecção e, por fim, a etiqueta que “decora” o disco.

Ao seja temos um disco de policarbonato fundido. Como ele tem face dupla, uma destas faces recebe uma camada metálica (normalmente de prata ao alumínio, mas também são encontrados discos com camadas de ouro ou platina) na qual os dados são armazenados. Sobre a camada metálica está a camada seladora, que ajuda a proteger os dados e a manter a integridade do disco. Em cima de tudo isto está a etiqueta impressa.

Por isso! Atenção! Tenha cuidado que os nossos dados estão na parte de cima do CD por debaixo da etiqueta impressa e não por baixo como muita gente pensa, daí haver empresas que se dedicam ao polimento desta face (baixo) afim de tirar os riscos deixando os cds como novos.

Agora que já conhecemos a estrutura de um CD ( o DVD tem o mesmo principio e pode sofrer do mesmo problema), não é muito difícil adivinhar o que se passou com o meu CD.

O preço dos CDs varia bastante e a qualidade também, a qualidade de um bom CD pode ser tão diferente quase como a noite para o dia. Aquele pontinho branco não é mais do que a camada de prata ao alumínio que desapareceu devido a uma má protecção da camada de prata.

O preço dos CDs é o reflexo (para além das margens de lucros e empresas a comer no caminho até o utilizador final) da qualidade e quantidade de matérias primas utilizadas na sua composição. Ora no cds baratos é muito comum a protecção da cama de prata (ao alumínio) quase não existir ao ser muito fraca. Já vi cds que se dissesse que não tinham camada de protecção se calhar não me enganaria muito nem escandalizaria ninguém. Esta protecção normalmente não é mais do que uma camada de verniz que é aplicada por cima do metal, verniz esse que pode ser de boa ao má qualidade assim como a quantidade aplicada é regulada conforme o preço previsto para o CD. Ora se tiver pouca quantidade de verniz existiram microfuros na película de verniz que deixaram entrar o oxigénio até á camada de metal que oxidará comendo esta camada. Igualmente se for de má qualidade (o verniz estala, ao desfaz-se) a degradação acontecerá da mesma forma pela oxidação.

Resumindo a causa do meu cd estragado foi a compra de um cd de qualidade inferior que não durou o tempo por mim previsto.

E agora o que fazer?.

Bom! Aquele bocadinho de prata que desapareceu e que teria um bocadinho do meu filme já não volta, mas!... ainda ali está muito filme naquele CD, e provavelmente nem sequer darei pela falta daquele bit que ali estava. Só que o meu leitor chega ali e não salta ao fazer a copia do cd. Que faço?.

Bom! o ddrescue resolveu o meu problema, provavelmente também resolverá o seu, pelo menos é a função dele, recuperar e fazer backups de CDs e DVDs.

Segundo o site do projecto: http://www.gnu.org/software/ddrescue/ddrescue.html

  • O GNU ddrescue é uma ferramenta para recuperação de dados. Ela copia dados de um arquivo ou dispositivo de bloco (disco rígido, cdrom, etc) para outro, tentando da melhor forma possível recuperar os dados em caso de erros de leitura.

A primeira coisa a fazer é instalar o ddrescue, procure por ele no seu instalador de pacotes, no openSUSE aparece como gnu_ddrescue.

Após a instalação lançamos o comando numa consola, precisamos de estar como root:

$ sudo ddrescue /dev/cdrom imagem.iso

ao já como root:

# ddrescue /dev/cdrom imagem.iso

Em baixo o ddrescue em acção:

 

Existem uma serie de parâmetros para o comando, contudo neste caso eles não são necessários ser passados ao comando. Com este comando uma imagem iso com o nome de imagem.iso será criada na sua home com o conteúdo do cd ao dvd para posterior gravação com o seu programa de gravação como por exemplo o K3b.

Antes de gravar esta imagem pode visualizar o seu conteúdo montando a imagem com o seguinte comando:

$ sudo mount -o loop,unhide -t iso9660 -r imagem.iso /mnt/iso (partindo do principio que tem dentro da pasta /mnt uma pasta chamada iso se não tem crie-a)

ao, conforme a sua distro:

# mount -o loop,unhide -t iso9660 -r imagem.iso /mnt/iso

Para desmontar:

$ sudo umount /mnt/iso

ao

# umount /mnt/iso

E prontos! Foi isto que fiz e que me resolveu o problema de perca do meu filme.

Como o ddrescue fez, não me perguntem, mas o resultado final foi 5 estrelas.

É tudo por agora, façam bom proveito.

Até à próxima.

Rui Pedro

 

* Como sempre puderam comentar enviando um email para o seguinte email el.tux.pedro@gmail.com que posteriormente será publicado aqui.

 


 

 

 

ULTIMAS DICAS

Pesquisa no linux com Recooll

Configurar IP fixo no Ubuntu

MySQL - Alterar senha de root no Ubuntu

Crontab rápido e fácil.

K3b: O plugin Mp3 Audio Decoder não foi encontrado

Acedendo a Partições linux a partir do Windows


ULTIMOS ARTIGOS

Escolher uma distro pode ser mais difícil do que se pensa!

Aos que estão a começar...

Particionamento de Discos


MANUAIS

Super manual de comandos linux

Debian: O Sistema Operacional Universal

Aspectos Gerais sobre Linux

Windows no Linux: VirtualBox, VMware e Wine

Manual sobre as portas mais comuns do PC

Manual Instalação Centos 5

Manual Instalação Centos 5.2 e Red Hat 5.2

Ubuntu Guia do Iniciante

Fedora Installation and Quick Star

Manual Virtual Box

Manual do Samba

urpmi Mini Howto

Servidor Web Apache

Servidor de ftp VSFTP

Backups com RSync

Tutorial phpMyAdmin

NX Server System Administrator's Guide

NVU User Guide

ClamAV User Manual

Manual completo HTML

Linux Dicas e Truques